quinta-feira, 18 de abril de 2013

Uma reflexão sobre nossas afeições - Parte Final


Quão benigno e misericordioso é o Senhor! Ele nos guiou em Sua Graça à esta aliança como Igrejas! Ele guia e preserva Seu Povo e faz todas as coisas para Sua Glória! Em toda parte desperta os corações de homens para que O temam e seja o Seu Nome conhecido em todas nações!
E agora nos chama e comissiona para levar adiante estas preciosas afeições, esta continuidade histórica da Sua Igreja, esta herança de uma Fé pura e simples, objetiva em conhecimento da Palavra mas experimental, emocional e operosa.
Para tal, a Igreja Puritana se esforça, sob a força que o Senhor somente nos pode dar, de modo a sermos fiéis depositários e despenseiros deste tesouro. Se esforça em orações - para recebermos do Senhor coragem e intrepidez, para que o Espírito do Senhor seja sempre em nosso meio, para que nossos pastores e mestres abram a boca com Verdade e tenham sabedoria e exatidão na medida da disciplina; em santificação pessoal - para sermos achados em constante arrependimento e sinceridade, andando longe de escândalos (e, quando estes vierem, que não subsistam), para sermos agradáveis ao coração do Senhor, andando com Deus, Povo Santo e cartas vivas do Evangelho; no ministério da Palavra, ardentemente desejando a pregação da vera Palavra, e, com temor, treinando, elegendo, chamando e ordenando, sob o Senhor, segundo Seu Governo, anciãos e vigias experimentados na Verdade, para Sua Casa; nas famílias da Aliança, para que a profissão de nossa Fé não seja uma mera religiosidade, que seja a sólida base em Cristo, sobre a qual fundamentamos todas nossas relações sociais e toda nossa forma de viver, e não só para educar as próximas gerações em uma moral Cristã, mas para educar os Filhos da Aliança no Temor do Senhor - não meros perpetuadores de uma tradição religiosa familiar, mas, sob a graça do Senhor, pedras vivas do Templo do Deus Vivo, poderosos em atos e palavras para perturbar o mundo na proclamação e experiência do Reino de Deus;
Compreendemos plenamente a grandeza deste chamado e comissão? Tememos e tremendos ante a glória do Senhor que se desvela aos nossos olhos impuros e com terrível e assombroso poder tem começado a se mostrar no Templo cuja pedras somos nós? Eis o peso do nosso dever, eis a obra de nossas vidas: responder com glória ao Senhor, proclamar com impetuosidade o momento de Sua visitação, estabelecer piedosas congregações em todo território nacional, pavimentado a estrada da Aliança e pacto nacional para nossos descendentes renderem este povo, língua e nação ao REI de toda a Terra. Tome cada um a sua Cruz, dê cada um a sua vida e somente assim teremos as mãos limpas do sangue desta geração - é o brado que ressonante nas almas dos que têm bebido da frescas águas que o Senhor fez correr no seio da Igreja Puritana!
Estas são um vislumbre de nossas afeições em Jesus Cristo, o desejado de nossos corações! Eis nossas esperanças, nas Promessas do Senhor, eis a fonte de nosso ímpeto, a certeza de que a Palavra do Senhor não voltará vazia, mas prosperará naquilo em que Ele a enviou; de que nosso chamado não é vão, mas certa é a grande obra do Senhor em seus Igreja, em todos os séculos, donde agora somos enxertados, por Sua graça. Nisto também descansamos: que todos quanto o Deus dos Exércitos, por meio de nossa proclamação chamar para nos adicionar, Ele mesmo fará firme em uma só disposição, mente, afeição e labor conosco em Cristo Jesus! Eis nosso convocação, eis nossa comissão, eis nossas afeições: tomar parte da aurora da Reforma nestas Terras, cada membro de nossas Igrejas segundo seu chamado e vocação, exercitando-se com todas as forças, toda a mente e toda vontade, segundo a Palavra de Deus, para obedecê-lO e, sob ardente e sincera oração, glorificar o Nome do Criador e Rei dos Céus e da Terra, nosso Senhor e amado Salvador!


 Parte 1 2 3

1 comentários:

António Jesus Batalha disse...

Estive a ver e ler algumas coisas, não li muito, porque espero voltar mais algumas vezes, mas deu para ver a sua dedicação e sempre a prendemos ao ler blogs como o seu.
Natal é mais verdadeiramente Natal quando nós celebramos dando a luz do amor àqueles que necessitam mais. Feliz Natal para si e para todos os seus.
São os votos do Peregrino E Servo.
Abraço.

Postar um comentário

 

Copyright © 2010 Igreja Puritana Reformada To whom honor, honor: Blogger Templates by Splashy Templates | Free PSD Design by Amuki